> Auto-realização
......................................................................
> Envelhecer
......................................................................
> Stress
......................................................................
> Preocupação com os filhos
......................................................................
> Sentimentos
......................................................................
> Comunicação nos relacionamentos
......................................................................
> Síndrome do Pânico
......................................................................
> Frustração
......................................................................
> Depressão
......................................................................
> Tempo
......................................................................
> Dependência
......................................................................
> Hipnose
......................................................................


DEPENDÊNCIA

O termo dependência é utilizado para se referir a determinados comportamentos e designar o abuso ou o excesso como problema. A falta de limite é freqüentemente influenciada pelo julgamento moral; a dependência a drogas ilícitas são mais sujeitas aos preconceitos pois não apenas o excesso é proibido mas o seu uso.

Mas hoje sabe-se que as descrições de dependências se multiplicam: cocaína, álcool, medicamentos, alucinógenos, tabaco, comida, açúcar, chocolate, café, jogo, televisão, esporte, sexo, trabalho... À procura da obtenção de prazer ou alívio de tensão.

O indivíduo que se encontra diante de uma realidade objetiva ou subjetiva insuportável, onde não consegue modificá-la e é impossível esquece-la, sente-se fraco e sem recursos. Resta-lhe como “alternativa última”, acredita nisso, a alteração da percepção dessa realidade. Realidade mascarada, passa, então, a acreditar que tudo está resolvido, encontrou a solução ou saída.

Forma-se um duo, indivíduo/dependência, no qual tudo que não é pertinente a essa relação passa para um segundo plano; sempre deixando o que acredita não ser prioridade para depois, começa a perder contato com o mundo de forma ampla. E é a perda da liberdade do indivíduo que constitui o seu estado, de dependente, como doença.

Marise Péret de Almeida

:::: Psicologia Agora ::: Av. Raja Gabáglia, 1011, sala 310 ::: Telefone: (31) 3292-0412 ::::
by HDWD